Portugal nos Mares (2 vols),
Oliveira Martins,

Obras Completas, Guimarães Editores, 1954, 261 + 211 páginas, br.;
Preço: 18,00 €

Camões,
Oliveira Martins (Obras Completas)

Guimarães & C.ª Editores, Lisboa, 1952, 324 pp., br.;
Preço:  €  10,00 

O INFANTE DE SAGRES

28 Maio 2017

ALMEIDA. (Fortunato de) O INFANTE DE SAGRES.

Obra premiada no concurso de memorias sobre o infante D. Henrique por occasião das festas do quinto centenário do nascimento do mesmo Infante. Livraria Portuense de Lopes & Cª. Porto. 1894. De 19×13 cm. Com 371 pp. necadernado a meia pele inglesa, com restauro no miolo.;
Preço: € 35,00

BRANDÃO (Carlos Cal).— FUNO. (Guerra em Timor).

». Ano MCMLIII. In-8º de 200 págs. B. encadernado a tecido e a percalina;

Preço: € 25,00

O Integralismo Lusitano,
Leão Ramos Ascensão,

Edições Gama, 1.ª ed., 1953, Porto, 218 pp., br.;
Preço: € 12,00

D. Sebastião – Rei de Portugal,
Antero de Figueiredo,

Aillaud & Bertrand, 8.ª ed. revista, 1925, 461 pp., br.;
Preço: € 15,00

INQUISIÇÃO E CRISTÃOS-NOVOS
António José Saraiva
inquisicaoecristaos-novos-antoniojosesaraiva

Porto : Inova, 1969, br., 319 p. ; 21 cm;
Preço: € 20,00

Fernão de Magalhães;
Stefan Zweig;

167
Livraria Civilização, 1945; 323 páginas;
Preço: € 15,00

Monarchicos e Republicanos
subtítulo: Apontamentos para a Historia Contemporanea
HOMEM CHRISTO

monarchicos-e-rep
capa de Octavio Sergio, Porto, 1928, Livraria Escolar Progrédior
1.ª edição, 18,6 cm x 12,2 cm, 412 pp., composto manualmente
Preço: € 25,00

Importante livro de memória política de uma época. «Abrangem o periodo decorrido desde a morte de D. Luiz até o 31 de Janeiro», diz o autor na sua Advertência. «O que se vae ler é extrahido em grande parte do Banditismo Politico, publicado em 1912, em Hespanha, volume que não chegou a circular em Portugal. […]»
Já nesse Banditismo Politico – A Anarchia em Portugal (Madrid, Imp. de Gabriel López del Horno) expressara Homem Christo o seu descontentamento, quer pela sua realização tipográfica quer pela feitura literária propriamente dita: «[…] é um livro escripto á pressa, muito á pressa, como, de resto, tudo quanto tenho escripto na minha vida. D’isso se ha de resentir na forma, sob todos os pontos de vista, e na essencia. Comtudo, creio bem que, já como obra de pamphletario já como obra de doutrinario, alguma coisa haverá n’elle de aproveitavel.» E para colmatar tal desgosto, na vertente obra ele revê e resume.

A PISTA DO TESOURO

22 Dez 2016

A PISTA DO TESOURO,
Adolfo Simões Muller,

350

Livraria Tavares Martins, Porto 1975, 161 pp., br.,
Ilustrações de Fernando Bento
Preço:€ 15.00

MULLER (ADOLFO SIMÕES ) – A PRIMEIRA VOLTA AO MUNDO
Fernão de Magalhães e as viagens de circum-navegação.

349

Porto, Livraria Tavares Martins, 1971- In. 4º de 197 pp., br., Ilustrado,
Preço: € 15,00

Monarquia do Norte

16 Dez 2016

Monarquia do Norte,
Rocha Martins

 

 

Oficinas gráficas do «ABC», 1922, 1.ª ed.,
187 pp. encadernação a tecido e percalina; assinatura de posse
Preço: € 130,00

Os Portugueses no Descobrimento dos Estados Unidos,
Jaime Cortesão

Seara Nova, 1.ª ed., 1949, 117 pp., br.;
Preço: € 15,00
Jaime Cortesão foi Fundador da Seara Nova e foi um especialista na História dos Descobrimentos Portugueses. Na escrita da história, sobretudo a partir do final da segunda década do século XX, revela-se um progressivo esforço reflexivo de interrogação e crítica, encarando a história como uma exigência de pesquisa fundamentada, que supera (embora não anule) o universo de divulgação com intencionalidade doutrinária e pragmática. A vinculação inicial à teoria do romantismo heroico de Carlyle, que mais tarde reformulará, bem como o recurso ao lendário, a necessidade de regeneração pela educação, a partir de uma «ensimesmação na história», no heroico passado nacional, conferindo ao ensino uma orientação nacionalizadora, percorrem a obra do pedagogo e do historiador, sem que comprometa a sua fidelidade à verdade e ao rigor em história, a sua «irrepreensível seriedade intelectual» (Jacinto Batista). Da sua vasta produção histórica, com enfoque nos Descobrimentos Portugueses, cuja fase mais produtiva ocorre no exílio, destacam-se como contributos inovadores: a abrangência de uma diversidade de fatores no estudo da formação de Portugal e no início da expansão; a abordagem pluridisciplinar dos fenómenos históricos; a síntese crítica e a visão de conjunto que apresentou da expansão e da colonização portuguesas; as teses que formulou e as hipóteses que levantou, retomando alguns dos tópicos mais polémicos da historiografia portuguesa oitocentista sobre os Descobrimentos, permitindo o relançamento do debate e por ele a contestação, mas também a reformulação, ampliação e renovação dos estudos históricos sobre este período.

Breves Notas sobre Epigrafia Latina,
José Augusto Maia Marques

Porto, Departamento de Publicações da Universidade Portucalense, 1987,
73 pp., br.;
Preço: € 12,00

Em Demanda de Soluções para o Problema Português,
Cunha Leal

dbb5b027d7b92ac9af0b35e4b566ae44

c61987cd7d14251939e8cfa906f273b8

1953, Inquérito, 54 pp., br.;
Preço: € 8,00

Mesteirais que ajudaram a fazer Portugal

Col. Educativa, série D, n.º 2, Campanha Nacional de Educação de adultos,
ilustrações de João Maria Mattoso, 153 pp., br.;
Preço: € 10,00

Reconstrução da Cidade Depois do Terremoto de 1755 – Exposição Iconografica e Bibliografica Comemorativa
AAVV

Editor: Palacio Galveias / Lisboa 2.ª Edição, 1955, 262, ilustrado, br.;
Preço: € 15,00

Para Além da Guerra

19 Jul 2016

 

Rolão Preto
Para Além da Guerra

Edições Gama, 1942, Cadernos das Edições Gama: Nº 2, 114 pp., br.;
Preço: € 15,00

PINTO (J. ESTEVÃO) – O INFANTE D. HENRIQUE.

dsc07211_burneddsc07213

Lisboa, 1960- In. 8º de 61 págs. Br.,
Ilustrado.
Preço: € 12,00

A Grande Burla (O Caso Alves dos Reis),
Murray Teigh Bloom

Editorial Panorama, s/d., tradução de H. Silva Letra,
337 pp., br.;
Preço: € 10,00

A malta das trincheiras: Migalhas da Grande Guerra 1917-1918
BRUN, André

Guimarães & C.ª – Editôres, 1919, 1.ª ed., 236-[2] pp.,
in-4.º, br. exemplar com restauro nas capas,
Preço: € 25,00

A década de 1910 e os anos da Grande Guerra vêem surgir dois movimentos seminais nas letras portuguesas, a Renascença Portuguesa e o Modernismo.

Fundada no Porto, a revista A Águia torna-se a partir de 1912 o orgão da Renascença e do Saudosismo poético, inspirado nas ideias de Teixeira de Pascoaes em torno de um “sentimento-ideia” de renascimento da alma nacional, a Saudade. No trabalho metafórico de Pascoaes, Jaime Cortesão ou Mário Beirão, Fernando Pessoa, colaborador inicial da revista, viu nascer uma nova poesia portuguesa. A questão da identidade e do progresso nacional ocupou parte considerável das suas páginas, sintetizada na célebre polémica entre Pascoaes e António Sérgio, e dá o mote ao número triplo que a revista dedicou em Abril-Junho de 1916 à entrada do país na Grande Guerra, apoiada activamente pelo grupo, com destaque para textos programáticos de Pascoaes, Raul Proença e Leonardo Coimbra. No ano seguinte, Cortesão e Casimiro (o “poeta-soldado”) seguiriam para a frente portuguesa no norte de França.

Por outro lado, em 1915 saem em Lisboa os dois números de Orpheu, revista emblemática do Modernismo português, onde Pessoa, Mário de Sá-Carneiro ou José de Almada Negreiros propunham uma poética que dialogava com recentes vanguardas europeias como o decadentismo e o futurismo. O escândalo que provocou na época iniciou a afirmação polémica dos escritores na arena pública, radicalizada no número único de Portugal Futurista em 1917 (apreendido pelas autoridades), onde se distinguiam posições contraditórias em relação à guerra: desde o claro intervencionismo de Almada Negreiros no Ultimatum futurista às gerações portuguesas do século XX, até ao niilismo do Ultimatum de Álvaro de Campos (Pessoa), que declarava a Grande Guerra a “falência geral” do Ocidente.

No imediato pós-guerra, o combate cívico da Renascença Portuguesa concretizou-se numa série de publicações de memórias de combatentes – que em 1920 já totalizavam 14 títulos. Para além de importantes testemunhos militares como Gomes da Costa ou de prisioneiros na Alemanha como Alexandre Malheiro, publicaram-se obras que atingiram notável qualidade literária, da autoria de Jaime Cortesão (Memórias da Grande Guerra), Augusto Casimiro (Nas trincheiras da Flandres e Calvários da Flandres), André Brun (A Malta das Trincheiras) ou João Pina de Morais (Ao Parapeito), esta última traduzida para língua francesa em 1930.

Fomento Rural e Emigração,
Oliveira Martins (Obras Completas)

Guimarães Editores, 1956, 284 pp., br.;
Preço: € 8,00

MARCELLO CAETANO – Confidências No Exílio
Joaquim Veríssimo Serrão


5.ª ed. br., 406pp., Editorial VERBO, Lisboa 1985
Preço: € 20,00

A Volta do “Desejado”,
Eduardo de Faria,

Editora Livraria Progredior, 1940, 221 pp., br.;
Preço: € 15,00

A Senhora Infanta (II Vols.) ,
António Campos Júnior

Livraria Romano Torres, II Vols., 3.ª ed., s/d., 377 ¨+ 385 pp., br.;
Preço:  indisponível